sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Ipaumirim

As terras que hoje compreendem o município de Ipaumirim, cuja denominação antiga era Alagoinha, quando ainda era vila do município de Baixio, ficam situadas no sul do Estado e fazem limites com as comunas do Icó, Lavras da Mangabeira e Estado da Paraíba. Ipaumirim  originou-se do município de Baixio. A ferrovia que passava por ali contribuiu para o progresso da localidade, do que lhe adveio a independência política e administrativa. O comércio com a cidade de Cajazeiras, na Paraíba, foi fator preponderante para a outorga da maioridade à vila de Ipaumirim.   

A Estação Ferroviária foi inaugurada em 1923 no município que teve a sede transferida de Umari para Baixio em 1933. 

A crônica histórica registra que um dos primeiros habitantes ad região foi o francês Joseph Aleth Doullette, que segundo o Barão de Studart, levantou as primeiras casas em Umari. A tradição popular guarda ainda o nome de Antônio Malheiros, fazendeiro abastado que foi um dos que colaboraram para a fundação do lugarejo. A matriz de São Gonçalo, situada na praça principal da cidade de Umari, foi mandada construir  pelo francês Joseph. É construção antiga, secular e, apesar das reformas, ainda guarda os traços marcantes e vivos da arquitetura colonial. O cemitério de Umari originou-se do fato de Joseph ter se escandalizado da distância percorrida para realizar sepultamentos. Partiam de Umari e iam fazer sepultamentos nos sertões de Icó.


Igreja Matriz de N. S. da Conceição em 1983 

Corria o ano de 1824 e a dramática República do Equador, fruto do idealismo revolucionário de alguns liberais, agonizava. Certa manhã, Umari recebe centenas de combatentes que atravessavam os sertões, vindos dos lados da Paraíba e Pernambuco. Fazia parte da tropa o famoso Frei Caneca, mais tarde, fuzilado. Félix Antônio de Albuquerque, ex-presidente da Paraíba, revolucionário, era o chefe supremo da força. Ao deixarem Umari, alguns dias depois, dava-se o encontro decisivo com as tropas de Pereira Filgueiras, e a derrota foi fatal e dramática.

Colégio Francisco de Assis Pires
Colégio XI de Agosto 

O município de Umari foi criado de conformidade com a Lei estadual n° 2046, de 12 de novembro de 1883. Com a inauguração da estrada de ferro passando por Baixio, o progresso logo chegou à localidade. O comércio tomou impulso e o lugar prosperava em pouco.


Praça Oswaldo Ademar Barbosa

Praça Padre Cícero

Daí saiu o Decreto n° 650, de 30 de junho de 1932, transferindo a sede do município de Umari para Baixio, erguido em Vila, passando o município a ter o mesmo nome, Baixio. Umari passava assim a simples condição de vila, a integrar com o território do seu distrito, o município recém-criado. Com o correr dos anos Alagoinha passa, então, a ter vida própria, com movimentado comércio, feiras concorridas, missas aos domingos, construção de boas residências, ruas calçadas, iluminação e a edificação de alguns prédios públicos.


Sede da prefeitura municipal

Em 30 de dezembro de 1943, Alagoinha passara a denominar-se Ipaumirim. A população começa então a lutar pela sua autonomia.  A Lei 2161, de 12 de dezembro de 1953, transfere a sede do município de Baixio para a Vila de Ipaumirim, elevada a categoria de cidade.

Do antigo município de Umari se originaram as cidades de Umari, Baixio e Ipaumirim, sendo o primeiro, historicamente, o mais antigo dos três.  O município de Ipaumirim é constituído de três distritos: Ipaumirim, Felizardo e Canaúna.


Antiga agência do Banco do Estado do Ceará - BEC

Localizado na microrregião de Lavras da Mangabeira, mesorregião do Centro-Sul Cearense, sua população segundo o censo 2010 é de 12.009 habitantes, com projeção de 12.281 moradores em 2014. O município é o único do Ceará que não se encontra na área de influência urbana de Fortaleza, estando em seu lugar sob o comando do Recife.

Limita-se com as cidades de Baixio, Aurora, Lavras da Mangabeira, Cachoeira dos Índios e Bom Jesus, ambas na Paraíba e fica a 420 km de distância da Capital Fortaleza.  

Capela de São Sebastião no alto da Pedra de São Sebastião
Imagem: http://www.citybrazil.com.br/


A maior festa religiosa do município é realizada em louvor a São Sebastião, festejos que começaram em Ipaumirim por volta de 1919. A tradição oral reza que a moradora do Sítio Serrote, Maria Lúcia, devota do Santo, fazia caminhada diária para a pedra e, como resultado de uma graça alcançada, colocou uma imagem do santo no morro. Caçadores encontraram a imagem e levaram-na para a capela na antiga Vila Lagoinha.  

Sem que ninguém soubesse, Maria José reconduziu novamente a imagem para o morro. Isso se repetiu várias vezes. Alguns acharam que era milagre o reaparecimento da imagem sempre no mesmo lugar. Em 1920, o coronel João Augusto Lima instalou uma cruz de madeira no alto da pedra. A partir daí foram abertas trilhas e começou a romaria para o local.

Capela de São Sebastião no alto do morro
imagem: https://memorialdeipaumirim.files.wordpress.com/2008/01/dsc05317.jpg 

Em 1957, foi inaugurada a Capela de São Sebastião, em cima da pedra. Em 2000, o município fez uma ampla reforma na área e instalou uma escadaria com corrimão e degraus em alvenaria. 

A cada 20 de janeiro, a movimentação de romeiros é intensa. Durante todo o dia, os devotos sobem uma escadaria de 204 degraus de acesso ao alto do morro, onde está a capelinha com a imagem do santo. Alguns pagadores de promessa fazem o percurso de joelho, enfrentando a dor e o sacrifício. Outros caminham de pés descalços. O destino é um só: chegar à Pedra de São Sebastião para rezar, renovar preces e agradecer pelas graças alcançadas. 

      fonte: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros
fotos do ano de 1983, do acervo do IBGE

 

6 comentários:

  1. muito bom o texto, gostei muito, Erivan Barbosa rapper e produtor natural de Ipaumirim Ce

    ResponderExcluir
  2. IPAUMIRIM TERRA ABENÇOADA E ACOLHEDORA

    ResponderExcluir
  3. Meu deus que delicia ver minha cidade aqui.

    ResponderExcluir
  4. Meu deus que delicia ver minha cidade aqui.

    ResponderExcluir
  5. Que? Saudades da minha terra querida ipaumirim

    ResponderExcluir
  6. Passei aí muito lugar maravilhoso

    ResponderExcluir